quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Ser artista é odiar o tempo, uma frase que acabo de conceber para derrotar este miserável dia.

 
 
While a work of art does bear witness to the moment of its fabrication, Nagel and Wood argue that it is equally important to understand its temporal instability: how it points away from that moment, backward to a remote ancestral origin, to a prior artifact or image, even to an origin outside of time, in divinity.

2 comentários:

alma disse...

Uma frase infeliz (ou menos feliz) :)))
Um artista não odeia o tempo :)
O tempo será sempre o seu maior trunfo ...

António Machado disse...

ser artista é derrotar a morte
ser artista é aceitar, do jogo, o vício
ser artista é elogiar a derrota
levantar (todos os dias) a cabeça (ex-educadinho) e deitar, ao deitar, o pescoço
no cepo