terça-feira, 13 de março de 2012

***

Como é do domínio público, as bibliotecas universitárias em Portugal são insuportavelmente silenciosas, ao contrário dos nossos incrivelmente elegantes centros comerciais que são espantosamente barulhentos, e na medida em que isto é verdade, e desse facto dou testemunho, vi-me obrigado a ler e a anotar The Stones of Venice, de John Ruskin, numa esplendorosa mesa de mármore negro colocada involuntariamente para esse efeito, num democrático estabelecimento da Macdonald's, a mais importante realização comercial do homem depois da espingarda de repetição. Mas a dado momento, vários pré-adolescentes, enquanto trincavam estridentemente o alimento do seu espírito e se insultavam com vitalidade e cortesia, começaram a evidenciar comportamentos histéricos e temi que a Alemanha tivesse finalmente desembarcado na doca de Santos, com a sua retórica forjada em aço e os seus oficiais louros, cobertos por longas gabardines de napa preta. No entanto, era só a Daniela da «Casa dos segredos», conforme consegui apurar, interrogando violentamente, entre estaladas, uma adolescente que não conseguia travar repetidos guinchos de sofrimento e êxtase, contorcendo-se espasmodicamente com revoluteios de fazer inveja a Bernini. Enquanto esta horda de trabalhadores mal-remunerados a curto-prazo se precipitava para os ombros de Daniela, uma espécie de Ruud Gullit mas em natural de Chelas, não consegui evitar que me rodeassem a mesa, pois treparam cadeiras e sofás, qual matilha de cães raivosos, como se não houvesse amanhã, e tudo isto sob o olhar impassível das esteticistas que respondiam pelo nome de professoras, chegando mesmo uma das hediondas criaturas a tocar, com os pés imundos, a minha edição de The Last Leopard. Vai daí, resolvi retaliar com três dias de silêncio, privando Portugal da minha sagacidade. Vão lendo este poderoso título, referenciado aqui em cima, que eu não demoro muito.

3 comentários:

AM disse...

mármore no MC!?
o que é feito das fórmicas fluorescentes!
é o fim do mundo

alma disse...

Ai o Ruskin* :)))
Prefiro aguardar serenamente e ler a sua leitura sobre as pedras ...
Adoro o Mac :) um expoente alto no meu sistema gastronómico.

*Curioso andar a ler Ruskin :)

AM disse...

estou capaz de fazer do êxtase de St. Teresa no Mac-D. o motivo de leite do meu próximo projecto