sexta-feira, 16 de março de 2012

«Não facem ondas», diz-se na Nazaré, segundo dizem.


Ainda antes do Álvaro Santos Pereira atingir o problema central da sua existência enquanto ser humano que é, o que dada a humilhação a que ele próprio se tem submetido pelo exercício impúdico da sua falta de inteligência e manifesta desilegância congénita, não levará muito tempo a ocorrer, em verdade vos digo que o Xandão não tomará banho no balneário do Sporting sem que o Sá Pinto conheça a divina câmara do insucesso. Isto não quer dizer que Sá Pinto não tenha potencial, antes pelo contrário, quer apenas sugerir que como Sheley bem notou na sua defesa da poesia, o doce prazer que retiramos da mágoa - e da derrota - é bem mais profundo e gratificante do que aquele que retiramos da vitória. Parece que até o Antigo Testamento já dizia: mais vale frequentar a casa enlutada do que a casa onde há banquete. Naturalmente não estou apenas a falar para adeptos do Sporting, mas para todo aquele que ainda não lavou as suas próprias cuecas.

3 comentários:

alma disse...

Estimado alf,
Mais uma grande leitura, mais uma grande aventura...
Ser heroina é o meu destino :) entre uma ou outra hesitação :)))
por que não!
Viver é maravilhoso mesmo com muitas lágrimas sofrimento e ranho
é como o seu livro de sucesso não há que temer nada e enfrentar a vida de peito aberto cheio de entusiasmo sem medo dos fracassos.

Quanto ao ministro,agora que o perseguem começo a sentir que talvez não seja assim tão mal...talvez tenha uma alma heróica eh eh eh eh.

alma disse...

Fracassos o que é ?

AM disse...

ou como dizem na póvoa do lanhoso: oreste não me mates que sou tua mãe
top hesitantes:
e em primeiro lugar... Jesus!